POR QUANTO TEMPO GUARDAR DOCUMENTOS

0 Flares 0 Flares ×

Faltam menos de 30 dias para a chegada de 2015. Janeiro é o mês em que devemos começar a organizar a papelada para o Imposto de Renda (Já? Sim! Quanto antes, melhor).

Todo início de ano é o período ideal para fazermos uma limpa em nossos documentos.

Agora fica a dúvida, do que jogar fora e o que guardar, não é mesmo? Vamos analisar alguns documentos e aprender por quanto tempo devemos guardá-los.

 


Paper Organization

  • Notas fiscais e certificados de garantia: as notas fiscais de compra de produtos e serviços duráveis e certificados de garantia devem ser guardados pelo prazo da vida útil do produto/serviço, a contar da aquisição do bem, uma vez que, mesmo após o término da garantia contratual, ainda há possibilidade de aparecerem vícios ocultos;
  • Declarações do Imposto de Renda Pessoa Física (IRPF) e Ajustes Anuais, IPTU, IPVA: 5 anos;
  • Carnê do INSS: deve ser mantido até a aposentadoria e a retirada do benefício;
  • Mensalidade escolar, Cartão de crédito, Água, luz, telefone e demais serviços essenciais: 5 anos. Solicitar declarações anuais de quitação do ano anterior;
  • Notas de Serviços: 5 anos;
  • Escrituras de imóveis e prestações: devem ser mantidas enquanto você for o proprietário do imóvel. No caso das prestações, os recibos devem ser conservados até que seja obtida a certidão definitiva no Registro Geral de Imóveis;
  • Pagamentos de salário: se você contrata funcionários ou empregados domésticos, deve manter todos os recibos de pagamento por 5 anos (salário, férias, 13º salário, controle de ponto etc);
  • Aluguel: o locatário deve guardar o contrato e as declarações de pagamento por até três anos após a desocupação do imóvel e o recebimento do termo de entrega de chaves;
  • Condomínio: por todo o período em que morar no local e mais 5 anos após a saída. Solicitar declarações anuais de quitação do ano anterior;
  • Consórcios: até o encerramento das operações financeiras. Solicitar declarações anuais de quitação do ano anterior;
  • Seguro: proposta, apólices e pagamentos devem ser guardadas por mais 1 ano após a vigência;
  • Convênio médico: proposta, contrato e pagamentos devem ser mantidos por todo o tempo em que estiver como conveniado. Solicitar declarações anuais de quitação do ano anterior;
  • Contratos: contratos em geral precisam ser conservados até que o vínculo entre as partes seja desfeito e, em se tratando de financiamento, até que todas as parcelas estejam quitadas e o bem desalienado;

 

 

Para diminuir a quantidade de documentos e facilitar a organização, em 2009, foi aprovada uma lei que obriga as prestadoras de serviços públicos ou privado a encaminhar ao consumidor uma declaração de quitação anual de débitos, que deve ser enviada até o mês de maio do ano seguinte. De acordo com a legislação, somente terão direito a este documento aqueles que estiverem em dia com todas as parcelas ou mensalidades do ano anterior.

 

Pagamento via internet: Ótima opção para evitar acúmulo de papéis, mas tenha sempre um backup destes comprovantes. Computadores não estão livres de panes.

 

Documentos não devem ter contato com plásticos, locais úmidos e luz do sol.

 

 

Obrigada pela visita!

Tatty França

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 Pin It Share 0 LinkedIn 0 0 Flares ×
Posted on: 1 de dezembro de 2014, by : Tatiana França

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *